Ronco e apnéia do sono

Apnéia do sono

A Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS) é definida como uma condição clínica caracterizada por episódios recorrentes de obstrução das vias aéreas na região da garganta, resultando em pausas na respiração durante o sono, microdespertares e dessaturação de oxigênio. A atualização mais recente da AASM (American Academy of Sleep Medicine – Associação Americana de Medicina do Sono) definiu a apnéia como uma redução de 90% ou mais do fluxo de oxigênio durante pelo menos 10 segundos, com o esforço respiratório mantido ou aumentado.

Diferente do ronco, a apnéia do sono é uma condição com potencial risco de vida e que requer atenção médica. Os riscos associados a SAOS não diagnosticada incluem ataque cardíaco, acidentes cerebrais vasculares, arritmias cardíacas, hipertensão arterial e diminuição do libido, pois a doença causa uma diminuição significativa da quantidade de oxigênio que o sangue carrega. Ademais, as pausas ou episódios de asfixia podem ocorrer dezenas de vezes durante o sono e estão associadas com queixas de ronco, pausas respiratórias durante o sono, sonolência durante o dia (sensação de “noite mal dormida”), fadiga (cansaço) crônico e problemas de relacionamento interpessoal, já que o paciente não atinge a fase do sono responsável pelo descanso da mente e do corpo. Pesquisas demonstram que estas consequências da SAOS são responsáveis por inúmeros acidentes de trabalho, perda de produtividade no ambiente profissional e acidentes de trânsito. Os sintomas podem ser leves, moderados ou severos.

A apnéia do sono é uma doença prevalente. De acordo com estudos epidemiológicos, Um em cada 4 adultos possuem algum grau de apnéia leve, enquanto um a cada 15 adultos apresentam sinais de apnéia moderada. Esta doença ainda afeta 1 a 3% das crianças e é muito mais prevalente em homens.

 

O diagnóstico é confirmado através da polissonografia, comummente conhecido como "estudo do sono", que é um estudo cardio-respiratório que consiste na utilização de uma aparelho especial para monitorar todas as etapas da sua respiração durante uma noite de sono.

A pausa respiratória, ou “apnéia”, causadas pelos fatores supracitados envia impulsos ao cérebro que induzem o paciente a acordar apenas o suficiente para reiniciar o ciclo respiratório. O paciente não desperta totalmente, mas altera o padrão do sono, passando de um sono profundo para um sono mais superficial, não repousante. Este ciclo se repete diversas vezes durante o sono e resulta em abstinência do sono e inúmeros problemas de saúde. Estes episódios de hipopnéia e apnéia (sem respirar) duram mais de 10 segundos e ocorrem diversas vezes por hora de sono. Considera-se apnéia leve um IAH entre 5 e 15, moderada entre 15 e 30 e grave quando o paciente tem um IAH maior que 30 por hora de sono

Quem possui apnéia normalmente não está ciente do seu problema e acredita que dorme bem. Se você apresenta alguns dos sintomas supracitados, procure seu cirurgião bucomaxilofacial para um exame completo e um diagnóstico preciso.

Comorbidades comuns associadas à SAOS

  • Diabetes - 50% dos diabéticos apresentam algum grau de apnéia;
  • Obesidade - 70% das pessoas com apnéia ou hipopnéia do sono são obesas e 70% dos obesos apresentam apnéia ou hipopnéia;
  • Hipertensão - 35% dos hipertensos têm apnéia do sono;
  • Insuficiência cardíaca - 50% dos pacientes com insuficiência cardíaca têm apneia do sono;
  • Infarto - 30% a 50% dos pacientes infartados têm apneia do sono;
  • Arritmia cardiac e Fibrilação atrial - 50% dos pacientes com fibrilação atrial têm apnéia do sono;
  • AVC - 50% dos pacientes com AVC (Acidente Vascular Cerebral) têm apneia do sono;
  • Síndrome do ovário policístico (SOP) - mulheres com SOP tem 30 vezes mais risco que a população normal de desenvolver apnéia do sono.

Logo, é recomendado fazer um exame de polissonografia para diagnóstico de apnéia do sono nos pacientes com diabetes, obesidade, hipertensão, insuficiência cardíaca, infarto, fibrilação atrial e AVC (derrame cerebral), especialmente após os 60 anos e em pessoas acima do peso.