Cirurgia Ortognática

Meu plano de saúde cobre a cirurgia?

Sim. Hoje qualquer plano de saúde obrigatoriamente deve cobrir os procedimentos cirúrgicos bucomaxilofaciais de caráter funcional. Exatamente por não ser estético, o diagnóstico revela um problema funcional e por isso deve ser realizado antes de trazer maiores consequencias. O profissional que executa esse tipo de procedimentos cirúrgicos é um Cirurgião-Dentista, com especialidade na Cirurgia Bucomaxilofacial, especialidade exclusivamente da Odontologia, mas o beneficiário de planos de assistência médica desfrutam dos direitos cabíveis ao tratamento de suas doenças e deformidade. Consulte o Dr. Fernando Antonini e providencie as documentações necessárias para realizar o seu procedimento cirúrgico.

Tenho deformidade facial. Por onde começo?

A Primeira etapa do tratamento é dedicada ao diagnóstico das deformidades presentes e, para isto, é necessária uma avaliação clínica detalhada e solicitação da documentação adequada. A documentação padrão compreende: (1) fotografias da face; (2) fotografias intra-bucais; (3) tomografia de face e pescoço; e (4) modelos de gesso das arcadas dentárias. Eventualmente são necessários outros exames, como polissonografia, cintilografia e ressonância magnética das articulações têmporo-mandibulares.

Com a documentação em mãos, o cirurgião bucomaxilofacial e o ortodontista são capazes de determinar o diagnóstico e definir o plano de tratamento. É importante a comunicação entre os profissionais para que detalhes importantes não sejam negligenciados.

Eu preciso usar aparelhos?

Sim. Os aparelhos ortodônticos servem para posicionar os dentes de uma forma que permita realinhar a maxila e a mandíbula dentro de um padrão funcional e estético aceitáveis, consequentemente dando ao paciente uma nova aparência, com uma maior simetria e harmonia facial.

Os aparelhos ortodônticos são instalados previamente à cirurgia e permanecem até o final do tratamento orto-cirúrgico. O Ortodontista quem determinará o momento final em que os aparelhos devem ser removidos.

Mesmo que você já tenha realizado tratamento ortodôntico anteriormente, pode ser necessário uma nova etapa de tratamento ortodôntico previamente à cirurgia ortognática, porem em alguns casos este tratamento pode ser acelerado ou mesmo realizado após a cirurgia.

Qual a sequência de tratamento?

Após o diagnóstico, plano de tratamento ortodôntico e cirúrgico definidos completamente, inicia-se o tratamento  orto-cirúrgic. A primeira etapa consistem em tratamento ortodôntico com aparelhos fixos através de um especialista nessa área chamado Ortodontista. Este tratamento prévio é chamado de preparo orto-cirúrgico, e é imprescindível para que os dentes sejam alinhados de forma a permitir a movimentação cirúrgica dos maxilares de forma previsivel, estável e harmônica. Após este preparo, a cirurgia é então realizado. Aproximadamente 20 dias após a cirurgia, o ortodontista já pode iniciar a etapa de tratamento orotdôntico pós-operatório, a fim de realizar os ultimo ajustes para o engrenamento final e perfeito da sua mordida. Veja abaixo os tempos médios de cada etapa.

Quando estarei pronto para a cirurgia?

Você estará pronto para a cirurgia quando seus dentes estiverem desprovidos de inclinares compensatorias e seus maxilares puderem ser reposicionados obtendo uma oclusão (mordida) perfeita e estável. Esse momento é decidido juntamente com o ortodontista, através de modelos de gesso realizados durante o preparo orotodontico pré-operatório.

Quais os exames necessários?

Os exames iniciais consistem de: Fotografias faciais, fotografias intra-bucais, radiografia panorâmica, telerradiografia perfil, tomografia computadorizada de face e modelos de gesso das arcadas dentarias. Ressonância magnética das articulações, polissonografia e SPECT-CT não são exames solicitados de rotina, mas podem ser necessários para o diagnóstico preciso e melhor planejamento do caso. Previamente à cirurgia, você deverá realizar exames de sangue, novos modelos de gesso e tomografia de face e pescoço, Radiografias de tórax, eletrocardiograma e exames médicos adicionais podem ser solicitados de acordo com as condições de cada paciente.

O procedimento é seguro?

Sim. Uma investigado detalhada da sa;ude do paciente é realizada previamente à cirurgia e todos os exames solicitado são meticulosamente avaliados. Ainda, todos os pacientes são avaliados por um médico anestesiologista, que também avalia a condicao m;edica do paciente a ser submetido a anestesia geral e esclarece todas as duvidas relacionadas ao procedimento anestésico.

Como é o pós-operatório?

Logo após a cirurgia, o paciente é acordado da anestesia e é encaminhado para a sala de recuperação anestésica, onde poderá receber os cuidados imediatos do dr. Antonini e da equipe de enfermagem para o seu restabelecimento. Após esta recuperação anestésica inicial, o paciente é levado ao quarto de internaçãoo, onde poderá permanecer com seu acompnhante até a alta hospitalar, que na maior parte da vezes é dada no dia seguinte à cirurgia.

Dieta:

Durante a estadia em casa, o paciente poderá falar e fará alimentações leves nos dias que se seguem, sem necessidade de ficar com a “boca amarrada". A alimentação inicial consiste de alimentos pastosos, aumentando a consistenca dos alimentos gradativamente até retorno a alimentação normal. É de terem importância que o paciente mantenha uma dieta balanceada no período pós-operatório. para isto, a Clínica FACE dispõe de profissional nutricionista para acompanhamento dos nossos pacientes. Hidratação com pelo menos 3 litros de água por dia também auxilia muito na recuperação pós-operatória.

Edema (inchaço):

Devido à extensa vascularização da face, o edema/inchaço da face está sempre presente, mas é moderado e regride com o passar dos dias. Após os primeiros 15 dias a maior parte do edema já regride. Diversos medicamentos são prescritos visando controle do edema e do desconforto pós-operatório. Tratamento fonoaudiológico e fisioterápico, bem como  drenagem linfática também são comumente prescritos a fim de acelerar a regressão do edema e a aparência do resultado final.

Dor e desconforto:

O período pós-operatório não é doloroso e os pacientes não tendem a queixar-se de dor. No entanto, todos os pacientes são medicados com analgésicos e antiinflamatórios a fim de controlar qualquer desconforto que por ventura algum paciente possa experimentar.

Tem como acelerar meu tratamento?

Sim. cada caso é estudado individualmente e o tratamento mais adequado é proposto. Em alguns casos, o preparo ortodontico p’re-operatório pode ser acelerado e realizado em 3 a 6 meses apenas. Ainda, em alguns casos, pode-se optar também pela técnica do benefício antecipado, em que o paciente é submetido à cirurgia orotgnatica previamente ao tratamento ortoodntico, corrigindo suas alterações funcionais e estéticaas logo no inicio do tratamento. Em qualquer um desses casos, o tratamento é acelerado e você pode desfrutar do resultado final antes mesmo do que voc6e espera.

Ficarei com cicatrizes na pele?

Não. Todo o procedimento é realizado com incisões intra-orais (por dentro da boca)