Cirurgia Oral e Maxilofacial

Cirurgia de Dentes do Siso

A presença dos dentes do siso podem causar problemas secundários, então, removê-los enquanto é tempo é a melhor opção. Consulte logo um especialista!

O que é um dente do siso?

Os “dentes do siso” são cientificamente chamados de terceiros molares. São os últimos dentes se desenvolverem e aparecer na boca, entre as idades de 17 e 25 anos, um tempo da vida que tem sido chamado de "Idade do Juízo."

Em geral, os dentes do siso são incapazes de romper as gengivas, por não haver espaço suficiente nos ossos maxilares. Nove em cada dez pessoas têm pelo menos um dente do siso, e 75% destes estão localizados dentro do osso maxilar/mandibular, sendo então chamados de sisos inclusos ou impactados.

Importância da Remoção

Se deixado incluso nos ossos maxilares, ou seja, se não forem removidos, os dentes do siso podem danificar dentes vizinhos, causar dor, fragilizar o osso mandibular, e ainda, o que é mais grave, desenvolver cistos e tumores ou causar uma infecção de origem dentária. A região da boca onde estes dentes estão é difícil de limpar, sendo assim um ambiente para as bactérias que levam à doença periodontal. Além disso, bactérias da boca podem migrar de sua boca para outras partes do corpo através da corrente sanguínea, causando infecções sistêmicas e doenças que afetam o coração, rins e outros órgãos.

Diversas pesquisas mostram que, uma vez que a doença periodontal está estabelecida nas áreas dos terceiros molares, o problema é persistente e progressivo, mas podem melhorar após a extração destes dentes

Indicações para Remoção

  • desenvolvimento de infecções e / ou doença periodontal;
  • cavidades (cáries) que não podem ser restauradas;
  • desenvolvimento de patologias, como cistos e tumores;
  • dano aos dentes vizinhos;
  • necessidade de espaço para movimentação ortodôntica.

Quanto mais cedo melhor

Os dentes do siso são mais fáceis de remover quando o paciente é mais jovem, já que suas raízes não estão completamente formadas, o osso circundante é mais flexível e há menos chance de lesão a nervos e outras estruturas nobres adjacentes.